Uso de Olaparibe em manutenção em tumores de ovário
17/01/2020
Avapritinibe – Nova terapia alvo para tratamento do tumor estromal gastrointestinal (GIST)
11/02/2020
 

Screening de Câncer de Pulmão

Por Carolina Zitzlaf

O câncer de pulmão é a primeira causa de câncer em todo o mundo, responsável por 18,4% dos casos de câncer, e causa mais mortes que os tumores de mama, colorretais e cervicais combinados – neoplasias que dispões de programas de rastreio.

Recentemente publicado no New England Journal of Medicine, o NELSON trial vem para confirmar a importância da realização rotineira de screening de câncer de pulmão na população de risco, o qual já era recomendado após resultados do NLST (National Lung Screening Trial).

O NELSON, trabalho holandês, vem coletando dados desde os anos 2000 com objetivo de mostrar redução na mortalidade de Câncer de pulmão, utilizando TC de tórax com baixas doses de radiação para screening em pacientes de alto risco.  Os pacientes eram tabagistas  (ou ex-tabagistas que tivessem parado há no máximo 10 anos) que tinham fumado > 15 cigarros/dia por > 25 anos ou > 10 cigarros dia por > 30 anos.

O desfecho primário era mortalidade relacionada a câncer de pulmão no grupo que realizou screening versus o grupo controle. Como desfechos secundários seriam avaliados mortalidade por todas as causas e tempo para diagnóstico de câncer de pulmão.

Foram avaliados 13,195 homens, que realizariam 4 tomografias de tórax com baixa dose de radiação –  com intervalos de 1, 2 e 2 anos e meio. Eram avaliados por softwares específicos e por radiologistas experientes para quantificarem velocidade de crescimento das lesões, a fim de minimizar indicação de biópsia desnecessariamente.

A população tinha entre 50 e 74 anos, com  idade média de 58 anos, com carga tabágica média de 38 maços/ano, com 44,9% de ex-tabagistas.

A taxa de falso positivo do teste foi de 1,2% e, a cada exame positivo no screening, o paciente seguia para investigação conforme guideline nacional. Após 10 anos de follow up, foram diagnosticados  5.58 casos/1000 pessoas/ano no grupo de rastreio versus 4,91 no grupo controle.  Neste período de 10 anos, 156 homens haviam morrido por Câncer de Pulmão no grupo de screening versus 206 homens no grupo controle com HR = 0.76 (95% CI, 0.61 to 0.94; P=0.01), ou seja, uma redução de 24% do risco de morte no grupo rastreado.

Um grupo menor de mulheres foi incluído no estudo, já que no início da randomização menos mulheres eram tabagistas de longa data, mas os resultados também mostraram benefício de screening nesta população.

Em suma, mais um estudo que mostra o benefício do rastreio de câncer de pulmão na população nesta população específica de risco, com um exame de fácil adesão.

 
Buy now