Rastreamento de Câncer de Pulmão
01/10/2018
KATHERINE – T-DM1 adjuvante no câncer de mama HER-2 positivo com doença residual invasiva
24/10/2018
 
 

Novo inibidor de Ciclina aprovado no Brasil para Câncer de Mama localmente avançado ou metastático.

Novo inibidor de Ciclina aprovado no Brasil para Câncer de Mama localmente avançado ou metastático.

Por Dra. Ana Caroline Patu

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) aprovou no dia 30 de julho de 2018 o inibidor de CDK4/6 ribociclibe para o tratamento de câncer de mama avançado, sem tratamento prévio, receptor hormonal positivo, HER-2 negativo.

Sua aprovação foi baseada no estudo MONALEESA-2, que randomizou 668 mulheres na pós menopausa para receber tratamento com inibidor da aromatase (letrozol) associado a ribociclibe ou placebo. O desfecho primário do estudo foi sobrevida livre de progressão.

As pacientes que receberam letrozol com ribociclibe tiveram um aumento significativo na sobrevida livre de progressão HR 0,56;p<0,05, na taxa de resposta global 54,5% versus 38,8% em relação as pacientes que receberam letrozol isolado. Os dados de sobrevida global ainda são imaturos. Atualização recente com seguimento de 26 meses manteve o benefício em sobrevida livre de progressão de 25,3 versus 16 meses.

Em relação ao perfil de toxicidade observamos neutropenia grau 3 de 50% na terapia combinada de letrozol com ribociclibe, entretanto a taxa de neutropenia febril foi de apenas 1,5%. Outros efeitos adversos observados foram aumento de enzimas hepáticas e prolongamento do intervalo QT, sendo recomendado a dosagem de transaminases e a realização de eletrocardiograma durante o uso desta droga.

Temos duas opções de inibidores de CDK4/6 aprovados no Brasil: palbociclibe e ribociclibe. E ambos, em associação com inibidores
de aromatase não esteroidal em pacientes com câncer de mama avançado sem tratamento prévio, possuem eficácia semelhante, com redução do risco de progressão de doença. Estas drogas são de extrema importância no tratamento destas mulheres, retardando o inicio da quimioterapia, permitindo manter a qualidade de vida.

 

Author profile
Dra Ana Caroline Patu
Médica Oncologista at Real Instituto de Oncologia

Graduação em medicina na Universidade Federal de Pernambuco.

Residência médica em oncologia clínica no Hospital Sírio Libanês, São Paulo-SP.

Oncologista do Real Instituto de Oncologia e do Hospital das Clínicas da UFPE.

Preceptora de Residência médica de Oncologia Clínica do Real Hospital Português.

Buy now