Quimioterapia associada a imunoterapia: nova opção de tratamento na primeira linha do câncer de pulmão não pequenas células metastático
12/05/2018
Anticorpo monoclonal é aprovado para o tratamento de sarcomas de partes moles
28/05/2018
 
 

Duração do tratamento adjuvante de tumores de cólon: três ou seis meses?

Por: Dr. José Fernando do Prado Moura

Os resultados de vários recentes estudos a respeito do tratamento adjuvante no câncer colorretal tem levantado bastante discussão quanto ao melhor tempo de duração do tratamento. Três ou seis meses?

O braço francês do IDEA trial, liderado pelo Dr. Thierry André incluiu 2010 pacientes, 90% estádio III, dos quais 90% receberam tratamento com FOLFOX6 e o estudo italiano conduzido pelo Dr. Alberto Sobrero com 3759 pacientes, 2/3 deles em estádio III, 64% receberam FOLFOX6 e 36% CAPOX.

Ambos estudos foram randomizados e tinham como objetivo avaliar a não inferioridade entre os pacientes que recebiam três ou seis meses de quimioterapia.

A princípio os resultados do braço francês do IDEA trial foram semelhantes em pacientes com estádio III de baixo risco para uso de três ou seis meses, no entanto os pacientes que receberam quimioterapia adjuvante com FOLFOX6 por seis meses, parecem se beneficiar mais, particularmente se tem fatores de maior risco de recorrência como uma doença mais avançada (T4 ou N2). O estudo italiano não conseguiu mostrar a não inferioridade de três versus seis meses. Apesar disso os autores concluíram que CAPOX apresentou resultados semelhantes quando utilizados por três ou seis meses ao passo que o regime FOLFOX por seis meses adicionou um benefício extra.

Finalmente, o SCOT trial, liderado pelo Dr. Timothy Iveson,  avaliou a mesma questão em mais de seis mil pacientes e seus resultados sugerem que três meses de tratamento adjuvante no câncer colorretal é  não inferior a seis meses e resulta em melhor qualidade de vida.

Os estudos discutidos acima, somados aos dados do IDEA trial, podem ajudar na decisão da melhor duração da terapia principalmente quando o tratamento for individualizado de acordo com as características clínicas do paciente e do tumor.

Referências

https://doi.org/10.1200/JCO.2017.76.0355

https://doi.org/10.1200/JCO.2017.76.2187

https://doi.org/10.1016/S1470-2045(18)30093-7

Author profile
Dr. José Fernando do Prado Moura
Médico Oncologista at Real Instituto de Oncologia

Graduado em Medicina pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE.
Residência em Clínica Médica: Hospital Barão de Lucena - Secretaria Estadual de Saúde de PE.
Residência em Oncologia Clínica pelo AC Camargo Cancer Center, São Paulo-SP.
Mestrado em Ciências/Oncologia pelo pelo AC Camargo Cancer Center.
Doutorado (em curso) IMIP/Universidade Federal de São Paulo.
Preceptor da Residência de Oncologia Clínica do IMIP e Real Hospital Português

Buy now