Estudo randomizado fase II avaliando 2 tratamentos sequenciais no câncer de pâncreas metastático: PANOPTIMOX-PRODIGE 35.
09/08/2021
Seguimento intensivo versus minimalista em pacientes com câncer de endométrio tratadas- Estudo TOTEM
26/08/2021

Segurança e eficácia do pembrolizumabe em comparação com o placebo no melanoma ressecado em estágio II de alto risco : KEYNOTE-716

Comentado por Dra. Emmanuely Duarte

O estudo KEYNOTE-716 é um ensaio clínico randomizado, de fase 3 que ainda não foi publicado. No entanto, no dia 05 de agosto de 2021 a farmacêutica Merck Sharp and Dohme® (MSD) anunciou que após análise interina o estudo atingiu o seu endpoint primário, configurando-se como o primeiro ensaio de fase 3 a avaliar o uso de imunoterapia adjuvante em pacientes com melanoma EC II de alto risco ressecados.

É de conhecimento geral que o tratamento com a imunoterapia para Melanoma de uma maneira geral alterou completamente os desfechos da doença, conduzindo cada vez mais a um maior tempo livre de doença e maior sobrevida global, além de qualidade de vida aos pacientes.

O tratamento adjuvante para a doença nos estágios IIIA até IV ressecados já se encontra bem estabelecido com os inibidores de checkpoints imunológicos como Pembrolizumabe e Nivolumabe, que reduziram o risco de recorrência da doença de maneira significativa com perfil de toxicidade aceitável. Entretanto, ainda não existiam estudos randomizados e de fase 3 que avaliassem o tratamento adjuvante para aqueles melanomas ressecados com alto risco de recorrência (aqueles que apesar de linfonodo negativo, apresentam-se como T4 por exemplo). A sobrevida em 10 anos para pacientes com Melanoma EC IIC é em torno de 75%.

O estudo randomizou 954 pacientes com 12 anos ou mais com o diagnóstico de melanoma cutâneo em Estágio IIB ou IIC de acordo com as diretrizes da 8ª edição do American Joint Committee on Cancer (AJCC) após ressecção cirúrgica, sem tratamento prévio e com bom status-performance pelo ECOG ( 0-1), pela Escala de Desempenho de Lansky (LPS) com pontuação ≥50 para participantes ≤16 anos ou uma pontuação da Escala de Desempenho de Karnofsky (KPS) ≥50 para participantes entre 16 e 18 anos . O desfecho primário foi a sobrevida livre de recorrência e os secundários incluíram: sobrevida livre de metástases à distância, sobrevida global, segurança e qualidade de vida.

Na Parte 1 do ensaio, que foi duplo-cego, os pacientes adultos foram randomizados para receber pembrolizumabe (200 mg por via intravenosa]) ou placebo (solução salina endovenosa) e os pacientes pediátricos foram randomizados para receber pembrolizumabe (2 mg / kg [máximo de 200 mg] por via intravenosa) ou placebo a cada três semanas por até 17 ciclos. Na Parte 2 , que foi aberta, os pacientes adultos e pediátricos elegíveis receberam até 35 ciclos adicionais (aproximadamente dois anos) de pembrolizumabe. A elegibilidade para a Parte 2 incluiu pacientes que recorreram após receber placebo ou completarem 17 ciclos do tratamento e não deveriam apresentar recorrência da doença dentro de seis meses.

Após análise interina, o estudo alcançou o seu desfecho primário demonstrando aumento estatisticamente significativo na sobrevida livre de recorrência para pacientes com melanoma EC IIB e IIC ressecados favorecendo o braço do pembrolizumabe adjuvante em comparação ao placebo. Ainda não sabemos em valores numéricos a proporção desse benefício e os dados deverão ser apresentados em breve em congresso médico.

Referência do estudo :  ClinicalTrials.gov , NCT03553836 .

Buy now